Castelo de Braga

O Castelo de Braga ergueu-se na cidade de Braga, freguesia de Sao Joao do Souto, Concelho e Distrito de Braga em Portugal.

Cidade com mais de 2.000 anos de historia, importante centro administrativo – civil e religioso -, as suas defesas, atravessaram diversas fases construtivas.

Torre de Sao Tiago – astronomo e geografo grego Claudius Ptolemeu (c. 85 – c. 165), em meados do seculo II, referiu na sua obra – Geografia (8 v.) -, que a cidade de Bracara Augusta era anterior a dominiaco romana. A recente pesquisa arqueologica, conduzida pela Universidade do Minho, identificou uma cerca defensiva com planta poligonal, reforcada por torreoes de planta semi-circular, que remonta ao seculo III.

A epoca das invasoes barbaras, por sua importancia e tradicao, a cidade foi escolhida como capital do reino dos Suevos, acreditando -se que tenha diminuido de importancia quando da sua conquista pelos Visigodos e de seu saque pelos muculmanos, e mesmo mais tarde, quando conquistada pelas forcas cristas do reino de Leao.

Embora nao existam informacoes seguras sobre a evolucao de suas defesas nestes periodos conturbados, sabe-se que, a partir do seculo XI, uma segunda serca estava em construcao, a sum e a oeste, complementando o troco norte da antiga muralha romana. Sabe-se, ainda, que em 1145, o arcebispo Joao de Braga garantiu aos cavaleiros da Ordem do Templo uma importante casa na cidade.

O castelo medieval

A partir do seculo XIII, uma nova fase construtiva se inaugura, com o abandono do troco notre da muralha romana e um crescimento da urbe em torno da Se-Catedral. Existem poucas informacoes acerca desta fase, tao somente as de que, sob o reinado de D. Dinis (1279-1325), iniciou-se uma nova cerca, complementada por uma torre de menagem. As obras progrediram com lentidao e, no reinado de D. Fernando (1367 – 1383), a nova cerca se mostrou ineficaz, permitindo a invasao da cidade por tropas de Castela na decada de 1370. Durante a crise de 1383 – 1385, Braga, juntamente com outras cidades do norte de Portugal, manteve-se fiel ao partido de Castela. Entretanto, tendo o novo soberano sido aclamado nas Cortes de Coimbra de 1385, a cidade franqueou-lhe as portas. D. Joao I (1385 – 1433) tambem dispensou cuidados a essa defesa, a partir de quando a cerca foi reforcada com novas torres, de planta quadrangular.

Vista de Braga no seculo XVII

Do seculo XVI aos nossos dias

A partir do seculo XVI, entretanto, a perda da sua funcao defensiva era comprovada pela quantidade de edificacoes adossadas a cerca, pelo exterior.

Em 1906, o Castelo de Braga foi ingloriamente destruido, restando apenas a Torre de Menagem.

Mais tarde, a Torre de Menagem e alguns trocos da muralha medieval foram classificados como Monumento Nacional por Decreto publicado em 23 de Junho de 1910.

Capela da Nossa Senhora da Torre, Braga, Portugal. A partir do seculo XIII a cerca da cidade passou a apresentar planta aproximadamente circular. A combinacao entre a pesquisa arqueologica e a documental permite reconstruir o seu tracado em linhas gerais, embora se desconheca a localicao precisa das portas (das quais se tem noticia de, ao menos, quatro) e das torres. A partir da chamada Porta Nova, construcao setecentista que substituiu uma das suas primitivas portas, corria a nornordeste pelo tracado da Rua dos Biscainhos, balizava pelo norte o entao chamado Campo da Vinha, e virando a sueste pelo tracado da Rua dos Capelistas ia entestar com a muralha propriamente do castelo, apos o que, volvendo sucessivamente a sudoeste, ao sul, a nordeste e de novo ao norte, passiva pelo Campo e Torre de Sao Tiago, Largo das Carvalheiras e Largo de Sao Miguel-o-Anjo, para concluir na Porta Nova.

A leste, a torre de menagem, e o principal remanescente do castelo erguido sob o reinado de D. Dinis. De planta quadrada, em estilo gotico, ergue-se a aproximadamente 30 metros de altura, dividida internamente em tres pavimentos. No akto, uma janela geminada e matacaes nos vertices. No topo uma coroa de ameias. Na torre e no alcado oeste, as pedras-de-armas de D. Dinis.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *